Você quer ser piloto profissional de drones?

As 10 perguntas mais frequentes sobre o que precisa saber para voar um drone em Portugal

As 10 perguntas mais frequentes sobre o que precisa saber para voar um drone em Portugal

Aerocamaras realizou o nosso webinar sobre tudo o que precisa saber para pilotar drones em Portugal, onde abordámos tópicos tais como requisitos para voar drones, categoria de treino necessário, cenários de voo e muito mais. 

Gilberto Iglesias, responsable da Aerocamaras Portugal e piloto especialista, respondeu às perguntas dos participantes. Aqui estão as perguntas mais frequentes feitas durante a sessão

1. ¿Quais são os passos para poder voar um drone legalmente en Portugal?

O primeiro passo é estar inscrito como operador de drone na ANAC, o segundo estar registado na plataforma da Autoridade Aeronáutica Nacional (AAN) para captar qualquer tipo de imagens, de acordo com a lei em vigor. Além disso, se quiser voar em áreas protegidas, deve ter a autorização do Instituto da Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), enquanto que para voar em zonas costeiras (50 metros da linha de água), deve ter a autorização da Autoridade Marítima Nacional (AMN), e da capitania com jurisdição na zona de voo. Todas estas autorizações podem ser feitas online e são fáceis de processar 

Depois, deve ter a certificação ANAC apropriada, dependendo dos cenários de voo em que voará.

2. Qual é a idade máxima e a mínima para poder pilotar um drone?

A idade mínima para pilotar um drone em Portugal são os 16 anos de idade. Não há idade máxima, se a pessoa for capaz de voar é dominar o drone, não há nada escrito na legislação atual que a impeça de voar. No entanto, o piloto deve ser responsável e ser capaz de voar em segurança.

3. Onde começar a estudar para se tornar um piloto de drone?

As certificações para se tornar piloto de drones estão divididas em três categorias: abertas, específicas e certificadas. Quase 90% das operações com drones em Portugal estão na categoria aberta, o que é considerado de baixo risco.  É portanto aconselhável começar por esta categoria. 

Dentro da categoria aberta existem 3 subcategorias: A1, A2 e A3. A1 permite voar drones com menos de 250 gramas e também de 250 a 500 gramas. A2 permite voar drones de até 2 kg e a subcategoria A3 até 25 kg. 

4. O que significa ser um operador de drone e para que precisa dele?

O operador do dron é o proprietário do dron.  No entanto, o piloto pode ou não, ser o proprietário do drone. Esta é a diferença. No entanto, a maioria deles são operadores e pilotos ao mesmo tempo. Depois há o caso de empresas registadas como operadores de drones como, por exemplo, Aerocamaras, que é o proprietário legal dos drones e tem pilotos recrutados para o pessoal. 

Os pilotos de drone que trabalham como freelancers são também operadores. 

5. É obrigatório ter seguro para pilotar um drone em Portugal? Onde faço esse seguro?

Em Portugal, o seguro de drones é obrigatório para drones com peso a partir de 900 gramas. Abaixo desse peso não é obrigatório, de acordo com a ANAC. No entanto, é aconselhável (embora não obrigatório) ter um seguro de responsabilidade civil para cobrir possíveis danos a terceiros que possam surgir.

Na Aerocamaras oferecemos seguro de responsabilidade civil e também seguro de danos para o seu drone, se assim o desejar. Pode consultar os preços ou solicitá-los neste link https://cursodedrones.pt/gestao-aeronautica-drones/  

6. Qual é a diferença entre os diferentes certificados de voo?

As diferenças estão na distância regulamentar e no peso do drone que pode voar. Na categoria A1, podem ser pilotados drones com peso até 500 gramas, na A2, UAS com peso até 2kg podem ser pilotados a uma distância de segurança de 50 metros de pessoas e na A3, drones com peso até 25 kg podem ser pilotados com uma distância de segurança horizontal mínima de 150 metros. 

Encontramo-nos actualmente num período de transição legislativa em Portugal, que se espera estar concluído até ao final deste ano 2022. Espera-se então que a categoria A2 permita que os drones até 4 kg sejam voados a uma distância mais curta.

7. Que tipo de perguntas posso esperar no certificado A1/A3 da ANAC?

Para este certificado, o exame consiste em questões básicas sobre segurança aérea, restrições do espaço aéreo, regulamentos de aviação, limitações de desempenho humano, procedimentos operacionais, conhecimentos gerais sobre UAS, privacidade e proteção de dados e seguro necessário para pilotar drones em Portugal.

Na Aerocamaras ajudamo-lo a preparar-se para este exame com tutoriais em vídeo e testes de simulação, para que possa passar sem dificuldades o exame da ANAC.

As 10 perguntas mais frequentes sobre o que precisa de saber para voar um drone em Portugal - Curso de drones PT

8. Para que países é válido o A1/A3?

O certificado A1/A3 é válido para todos os países membros do espaço EASA. Isto significa que lhe dá o direito de pilotar drones em cenários abertos em todos os países da UE mais Suíça, Liechtenstein, Islândia e Noruega. 

No caso da América Latina, depende da própria legislação que tem a autoridade competente em cada país. Por exemplo, no caso do Brasil, deve consultar coa Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) do Goberno Federal.

9. Coa certificação A1/A3-A2-STS convertida para nova legislação, foi feita na Espanha, Também teria que fazer o pedido de operador aquí em Portugal

O certificado A1/A2 permite-lhe pilotar drones em Portugal em espaços abertos, sem qualquer problema, uma vez que tanto a Espanha como Portugal são países membros da EASA. No entanto, o STS obtido em Espanha não é válido para Portugal. Cada país europeu tem o seu próprio certificado de STS e no caso de Portugal ainda se encontra em processo de processamento

Para voar em Portugal teria de se registar aqui.

Abaixo, pode ver o vídeo completo do webinar com todos os tópicos abordados.

10. Aerocamaras está habilitada em Portugal e emite certificados válidos para se trabalhar na Europa?

Sim, todos os certificados emitidos por uma autoridade, como a ANAC no caso de Portugal, são reconhecidos pelos outros estados membros, excepto a STS que é uma certificação nacional. O nosso curso de preparação para a subcategoria A1/A3 A1/A3 que ensinamos, prepara os alunos para passarem o certificado oficial da ANAC, pelo que a qualificação será emitida e reconhecida pela mais alta autoridade aeronáutica em Portugal. 

No caso dos cursos profissionais, são formação complementar para trabalhar em áreas específicas e são válidos para toda a Europa, mas para os frequentar é necessário ter a qualificação A1/A3

No vídeo seguinte, pode assistir ao webinar completo

Gostaria de se tornar um piloto de drones? Na Aerocamaras aconselhamos e treinamo-lo a passar com sucesso os exames da ANAC. Ligue-nos para 308 806 301 ou escreva para info@cursodedrones.pt