Você quer ser piloto profissional de drones?

A importância dos drones para as inspeções de viadutos e pontes

A importância dos drones para as inspeções de viadutos e pontes

A utilização de drones para inspeções de viadutos e pontes fornece imagens de alta qualidade para uma análise detalhada das infraestruturas. A tecnologia fornecida pela UAS, como as câmaras de imagem térmica, tornou-se uma ajuda perfeita para profissionais, engenheiros e técnicos. Por qual razão os drones são uma boa opção para inspeções de viadutos e pontes? Dizemos-lhe.

Índice de contidos

A importância de verificar os viadutos e pontes

Todos os viadutos e pontes devem ser inspecionados periodicamente a fim de detectar possíveis deficiências que possam pôr em perigo a segurança. Existem três tipos de inspeções de infraestruturas: inspeções básicas ou de rotina; inspeções principais; e inspeções especiais

O Ministério de Obras Públicas espanhol já decretou a obrigação de realizar inspeções principais em todas as pontes e viadutos da Rede Rodoviária do Estado. Além disso, nas infraestruturas onde são detetados danos, deve ser efetuada uma inspeção especial. Estes tipos de inspeções são geralmente efetuadas quando uma situação é causada (por exemplo, por impactos de veículos, danos causados por inundações ou qualquer outra catástrofe natural). Estes trabalhos envolvem necessariamente a presença de técnicos e equipamentos especiais.

De acordo com estudos recentes, as inspeções regulares destas infraestruturas ajudam a minimizar os danos em caso de possível destruição por fenómenos naturais.

drones para inspeçao de viadutos e pontes - curso de drones Portugal

Vantagens dos drones na inspeção de viadutos e pontes

As práticas tradicionais de inspeção e monitorização de pontes são técnica e logisticamente complexas, uma vez que são necessários andaimes especiais e plataformas aéreas, bem como grandes veículos debaixo da ponte. São também demoradas e logisticamente exigentes

  • Consomem tempo e recursos logísticos. 
  • São mais dispendiosos e perigosos para os inspetores.

No entanto, os drones multi rotores têm a capacidade de o fazer: 

  • Aterrar verticalmente e voar sem a necessidade de andaimes.
  • Inspecionar de perto áreas críticas e de difícil acesso.
  • Fornecer quadros de alta resolução a partir de diferentes pontos de vista.
  • Reduzir os custos de operação e de adjudicação.
  • Oferecer uma velocidade de levantamento mais rápida e um mapeamento fotogramétrico 3D para um relatório detalhado do estado da infra-estrutura em menos tempo.

As reconstruções 3D obtidas a partir dos dados permitem uma inspeção virtual realista e são adequadas para a identificação de danos.

Como se realiza uma inspeção de ponte com drones

A primeira coisa a fazer antes de iniciar a inspecção é identificar áreas seguras adequadas (dependendo da geometria da ponte e dos ambientes circundantes) para o posicionamento do piloto e de outros técnicos, tendo em conta a visibilidade do UAS. É também necessário estabelecer locais seguros para descolagem/aterragem e possível aterragem de emergência. Se possível, conduzir a operação na ausência ou durante as horas de vazio.

Em seguida, é feito um voo preliminar com o drone equipado com uma câmara HD e zoom para ter uma visão global da estrutura a ser inspeccionada e também para evitar possíveis elementos que possam dificultar a inspecção. 

A maioria dos voos para estas missões são efectuados com a ajuda de software, como o UGCS, através do qual a rota/missão a seguir é planeada tomando como referência pontos verticais e horizontais. No entanto, devido à natureza das pontes ou viadutos, estes voos automáticos devem ser cuidadosamente supervisionados por um piloto especializado e, dependendo das áreas a inspeccionar, poderá ser necessário combinar a pilotagem manual e a pilotagem autónoma. Por exemplo, ao guiar o zangão através de áreas muito estreitas debaixo da estrutura.

Posteriormente, a UAS equipada com uma câmara de imagem térmica detecta áreas críticas, danificadas ou rachadas através de pontos quentes. 

As imagens aéreas capturadas durante uma inspeção resultam numa grande quantidade de dados que são processados através de modelos virtuais 3D, obtidos a partir do pós-processamento destas imagens e frames de vídeo. Estas ferramentas são muito úteis, porque permitem uma pós-investigação fiável e fornecem informações básicas para o desenvolvimento de um gémeo digital da estrutura graças à Modelação da Informação de Construção (BIM). 

Como já apresentado, a reprodutibilidade das investigações baseadas em UAS permite: comparar ao longo do tempo reconstruções 3D de partes deterioradas da estrutura detectadas; e quantificar a evolução da extensão dos danos e deformações acumuladas dos elementos estruturais, bem como o efeito benéfico das intervenções de reabilitação.

Formação necessária para ser piloto de aeronaves para inspeções de pontes e viadutos

A inspecção de grandes infra-estruturas é uma das actuais aplicações do drone com maior procura de mão-de-obra. A existência de projectos europeus e as vantagens proporcionadas pela UAS na avaliação dos riscos de segurança e no trabalho de prevenção são um impulso para a implementação desta tecnologia em utilizações civis. 

Contudo, para ser um piloto especializado na inspeção de pontes e viadutos com drones, é necessário ser certificado como piloto co Curso preparatório para a formação teórica da subcategoria A1/A3 da categoria aberta complementá-lo com formação especializada, tal como o Curso Piloto de Drone em Inspeções Técnicas. Para mais informações, contacte a Aerocamaras através do 308 80 63 01 ou escreva um email para info@cursodedrones.pt

Gostaria de saber mais notícias como esta? Subscreva a nossa newsletter.